Amor de lágrimas: sofrendo pelo bem do Evangelho

Se vivermos aquele amor que o mundo prega (como vimos em “Amar como Jesus amou“) e repreendido por Jesus em Mateus 5 estaremos caindo num erro que tanto influenciará nosso agir perante a sociedade como também dentro da igreja, pois sabemos que a vida em igreja muitas vezes nos colocará diante de pessoas e situações onde será difícil de amarmos, mas analisando a Palavra do Senhor, vimos que esse amor foi vivido por Jesus, pelos Apóstolos e também pela igreja primitiva.

O exemplo de Jesus

Jesus chorou vendo a cidade de Jerusalém  e  sabendo que ela não aceitou a oportunidade dada por Deus de aceitar Jesus (Lucas 19.41-44). Jesus sofreu e suou sangue no Getsêmani quando estava prestes a realizar o maior ato de amor que a humanidade haveria de conhecer (Lucas 22:44).

O exemplo dos apóstolos

Paulo quando está escrevendo aos Corintios em sua segunda carta diz que está escrevendo com lágrimas, e ele relata que essas lágrimas não são para que a igreja se entristecesse, mas para que a igreja conhecesse o amor em grande medida que Paulo tinha por eles (2Co 2.4). João quando estava tendo a revelação do livro com os sete selos, relata que que chorou muito porque ninguém foi achado digno para abrir o livro, nem sequer de olhar para ele (Ap 5.1-3,4).

O exemplo da igreja primitiva

Em Atos quando Pedro foi preso por Herodes a bíblia fala em Atos 12:5 que “havia oração incessante a Deus por parte da igreja em favor de Pedro”, e creio eu que essa não era uma oração de alegria, mas de tristeza por estar Pedro sofrendo em favor do Evangelho.

A igreja hoje precisa dar exemplo

Como falei no início, se amarmos como o mundo ama, ou seja, apenas aquilo que é fácil de amar, a tendência será abandonar o Evangelho quando esse amor for difícil de praticar. Em alguns anos que estou trabalhando com jovens na igreja, pude aconselhar vários jovens que estavam se afastando do Caminho e/ou caindo em pecados, alguns deles não ouviram meus conselhos e se entregaram ao pecado, anos se passaram e eles continuam vivendo no mesmo pecado, pessoas que talvez nem lembrem mais de mim, dos meus conselhos, ou até lembrem, mas não queiram voltar ao Evangelho e abandonar seus pecados, muitas vezes eu lembro e ainda oro por eles, uma oração de tristeza por saber que estas pessoas estão longe da salvação encontrada em Jesus.

O quanto temos buscado resgatar aquele amor vivido no primeiro século pelos cristãos? Esse amor de sofrimentos fez o homem ser reconciliado com Deus, trouxe salvação a humanidade, fez a igreja multiplicar, fez os irmãos serem mais perseverantes na fé, e resultou em milagres como a própria soltura de Pedro da cadeia. Eu digo que o maior ato de amor que você pode fazer é lutar pela fé dos nossos irmãos, viver esse amor exige sacrifícios, e algumas vezes resultará em tristeza, mas é necessário vivê-lo pelo bem do Evangelho de Jesus. Ame, muitas com lágrimas, mas ame!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s