Pai nosso, que estás nos céus

Nos próximos dias vamos meditar versículo por versículo na oração do “Pai nosso” que Jesus nos deixou como modelo, esta oração nos ensina e nos conduz a uma oração aceitável por Deus, uma oração que tem como principal foco engrandecer o nome dEle e nos colocar em Sua dependência, o primeiro versículo se encontra no versículo 9 de Mateus 6, diz assim:


Mateus 6
9 Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;

Jesus inicia a oração dando a Deus o nome de Pai, essa identificação é encontrada sempre que Jesus ora, isso indica a relação íntima que Jesus buscava em sua oração, nesse caso Ele acrescenta algo muito maravilhoso, Ele não apenas O chama de “Pai”, mas diz “Pai nosso que estás nos céus“, assim, Jesus amplia a relação de “paternidade” para seus discípulos e é esse “nosso” que faz diferença em nossas vidas, como é importante entender que nós que somos discípulos de Jesus temos um Deus que é também nosso Pai, um Pai maravilhoso que nos conhece tão bem ao ponto de saber tudo que precisamos antes mesmo de pedirmos (Mt 6.8).

Deus é Pai de todos? Não. A bíblia nos revela que Deus considera por filho todo aquele nascido novamente (João 1.12; 1João 3.9,10; o batismo vindo por Jesus em Mt 3.11 e em Seu nome At 2.38 combinam com a afirmação de Rm 8.14). Os  judeus consideravam blasfêmia chamar Deus de pai (João 10.36) , Jesus, porém, não apenas chama Deus de Pai, como afirma que seus discípulos também o são; verdadeiramente temos uma oração feita por Jesus deixada como modelo para nós que O aceitamos como Senhor. Uma das expressões mais usadas no evangelho de Mateus é justamente esta “Pai que está nos céus”, 17 versículos ao todo. Mateus foi escrito para a realidade de Jerusalém, de fato, afirmar a existência de um Pai, não terreno, mas celestial era de muita importância aos judeus que foram criados numa cultura que considerava blasfêmia chamar Deus de Pai. A realidade dos judeus no evangelho de Mateus continua viva hoje, precisamos mostrar ao mundo que temos um Pai e tudo que esse Pai fez em nossas vidas nos resgatando das trevas, nos transformando, libertando do nosso antigo modo de vida e que diariamente nos dá misericórdia.

Após Jesus invocar a Deus, ele faz seu primeiro pedido “santificado seja o teu nome”, mais que um pedido, eu diria que Jesus está reconhecendo Deus como santo e demonstra o desejo de ver pessoas tendo esse mesmo sentimento. Olho pra minha vida e reflito o quanto preciso entender que Deus é santo, como santo é Jesus e como eu preciso ser igual a Jesus. Entender que Deus é santo implica em ter temor a Ele e viver de maneira digna, entender que Deus é santo implica em dizer isso a Ele, entender que Deus é santo implica em reconhecê-lo como santo diante do próximo e apresentar esse Deus a quem ainda não O conhece.

2 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s